Gravidez: Eu posso ir à academia?

Gravidez: Eu posso ir à academia?

O quanto é comum visualizar uma gestante realizando uma caminhada? você já conseguiu ver uma grávida em uma academia malhando? Será o exercício prejudicial no período gestacional? finalmente, até que ponto uma mulher em estado gestacional pode realizar atividades? quais os exercícios que devem ser evitadas neste período?

É de conhecimento da população, nos dias de hoje, que o nosso corpo em atividade consegue proporcionar uma melhor qualidade de vida. No entanto, mesmo assim, boa parte da sociedade brasileira ainda trata o período gestacional como doença.

Privando a mulher de realizar diversas atividades físicas em detrimento do não desgaste no desenvolvimento da criança, esses conceitos estão, na verdade, gerando um estado de inércia que pode se tornar perigoso para a saúde da futura mamãe e do bebê.

Afirmar que uma mulher que não praticava nenhum tipo de exercício antes de engravidar deve se tornar uma atleta na gestação é muito exagero e perigoso. Porém, atividades leves como caminhada e hidroginástica vai ajudar na prevenção, principalmente, da Diabetes gestacional e Eclâmpsia (condição em que ocorre convulsões e elevação da pressão arterial na gestação).

 Isso implica em dizer que, quanto maior a atividade física que a mulher tinha antes da gravidez, mais elevado será o grau de atividade que ela poderá fazer durante a gestação. Com acompanhamento de um profissional da educação física e mediante uma gestação sem riscos clínicos para a mãe e o bebê a presença destas grávidas em academia devem se tornar mais comum.

O ideal mesmo é que, se a mulher está pensando em ter um filho e não realiza atividades físicas, ela inicie imediatamente no sentido de melhorar seu condicionamento para poder prevenir, principalmente, as duas doenças que falamos anteriormente.

Os benefícios da atividade física orientada durante a gestação são muitos:

–  Menor risco para obesidade.

–  Fortalecimento musculoesquelética e cardiorrespiratória.

–  Menor risco para doenças cardiovasculares.

–  Maior satisfação com sua autoimagem e maior autoestima.

–  Reduz o cansaço que grande parte das gestantes sentem.

– Fortalecimento da musculatura do parto (abdômen e períneo).

            Desta forma veja algumas dicas que podem te ajudar a encontrar, junto ao serviço de saúde e ao educador físico que te acompanha, a sua forma ideal de melhorar seu condicionamento.

A ginástica localizada é uma boa escolha. Faça de duas a três vezes por semana, de 50 a 60 minutos;

Evite exercícios que mantêm você por muito tempo em pé. Esse tipo de atividade física pode dificultar a circulação sanguínea, causando queda de pressão e mal-estar;

Evitar os steps. O período gestacional deixa as articulações mais vulneráveis à lesões;

– Não muito intensa nos exercícios. Em grandes esforços o fluxo sanguíneo no organismo diminui, o que reduz a passagem de nutrientes e oxigênio para o bebê;

 A cada trimestre suas atividades deverão ser mudadas, pois a adaptação respiratória, cardíaca e renal requerem uma diminuição gradual de intensidade dos exercícios.

– Quanto à realização de abdominais existe muitas divergências ainda. Muitos acreditam não haver danos ou risco de nascimento prematuro, liberando esta prática de forma cautelosa.

– Estudos recentes sugerem que os exercícios durante a gravidez ajudam no desenvolvimento do sistema nervoso do bebê;

– Musculação com cargas leves e acompanhada do professor de educação física também pode ser realizada.

“Minha esposa, Jesana Christina, realizou todos os exercícios de musculação, de forma mais leve, até 8 meses e alguns dias e tivemos uma gravidez tranquila” afirma o Educador Físico Zeno Wictorello, proprietário da Forma Fit Academia de Felipe Guerra, e que nos ajudou a revisar este texto.

Zeno, Jesana e sua filha

            “Os exercícios promovem uma série de benefícios a sua saúde (e do seu bebê). Ajudam também a relaxar, controlar a ansiedade, reduzir o inchaço e as dores musculares (principalmente na região lombar), além de auxiliar no controle arterial”, afirmam os especialistas. Por tanto se você está grávida ou conhece alguém neste estado, contribua com a saúde e busque orientação do serviço de saúde e do profissional da educação física e inicie imediatamente as atividades recomendadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *