Doenças e o excesso de açúcares em crianças!

Doenças e o excesso de açúcares em crianças!

Quem de nós nunca chegou para um sobrinho pequeno, um filho de amigos infantes, ou até mesmo para um filho nosso, oferecendo doces, balas e várias guloseimas que são o fascínio de qualquer criança no mundo inteiro?

Afinal, que problemas podem recair sobre a saúde deste jovem com excesso de açucares? que quantidades podemos dar à uma criança deste nutriente? e o que fazer para não deixar meu filho ou sobrinho viciado nestes alimentos?

É inegável que queremos que as crianças fiquem quietas, sem fazer badernas ou chorando para ir fazer algo que nós adultos não estamos com a mínima vontade, e que, na maioria das vezes, acabamos cedendo alguns degustes, mesmo sabendo do risco que estamos impondo à saúde daquela criança.

“A organização Mundial da Saúde (OMS) adverte que o consumo diário de açúcares não deve ultrapassar 37 g, o que equivale em 7 colherinhas”. Falar desta forma não implica dizer que sua criança deva ingerir todo na forma industrializada que temos este produto, afinal quase todos os alimentos que ingerimos tem açucares.

Só para se ter uma ideia a ingestão de um copo pequeno de refrigerante equivale a 3 colheres de açúcar ou 36g de açúcar e 2 balas de caramelo contem 2 colheres ou 24 g deste nutriente.

É fato que a frutose, a galactose, glicose (açúcares também presentes nos alimentos naturais) são essenciais em nossa dieta, pois é nossa principal fonte de energia para realizar nossas atividades diárias. No entanto seu consumo excessivo tem sido provado gerar diversos problemas de saúde que não se percebe na infância, mas que se apresenta na vida adulta de uma criança que teve sua alimentação descontrolada frente à esse nutriente.

Veja alguns problemas de saúde frequentes decorrentes do consumo excessivo de açúcares na infância:

– Diabetes: o consumo excessivo de açúcar estimula o pâncreas a produzir cada vez mais insulina, gerando uma futura resistência à esse hormônio, fator gerador da Diabetes tipo 2.

– Colesterol elevado: o açúcar em excesso tende a se armazenar em forma de glicogênio ou metabolizado em gordura, tendo o colesterol como o mais produzida. O excesso deste colesterol possibilitará futuras doenças cardiovasculares.

– Obesidade Infantil: Os índices deste problema de saúde tem se agravado no mundo inteiro e sabemos que o excesso de gordura, decorrente de uma dieta muita rica em açúcares, tende a formar diversas doenças cardíacas e circulatórias.

– Depressão: a valorização do corpo na sociedade atual fragiliza a saúde mental de um jovem que mantem seu peso e sua estética sempre deturpados.

Neste sentido, dentre outros problemas que podem ser evitados estimulando uma dieta saudável, sem excessos de açúcares na infância, podemos citar algumas atitudes que vão fazer efeito na saúde deste futuro adulto.

– Manter amamentação exclusiva até o 6 meses da criança: são quantidades adequadas de nutrientes (açúcares, proteínas, vitaminas e lipídios), sais e água para um corpo em adaptação.

– Introduzir alimentos ricos em vitaminas e fibras após os 6 meses de vida.

– Evitar colocar açúcar nos alimentos como se estivesse preparando para um adulto, tendo em vista que as necessidades diárias do adulto é diferente e é nesta fase da vida que serão montados os padrões de sabores para a criança.

– Não oferecer refrigerantes, doces, balas ou qualquer alimento industrializado muito rico em glicose. Além do mais estes irão concorrer com os alimentos saudáveis durante as refeições.

A forma como você se alimenta determina, em muitos casos, o padrão de saúde e doença que o acompanhará pelo resto de sua vida. Por isso é preciso ser duro com nossas crianças agora para que a vida não seja cruel com elas no futuro.