All posts in Doenças do Sistema Digestório

Hemorroidas: os mitos e as verdades!

Hemorroidas: os mitos e as verdades!

Quem nunca ouviu falar na palavra hemorroidas¿ ou tenha sido orientado a não sentar em uma cadeira onde alguém que tem este problema de saúde tenha sentado. Muitos são os mitos e lendas sobre o conhecimento do senso comum em hemorroidas. O que é, de fato, este problema de saúde? será transmissível? o que fazer para evitar?

O termo Hemorroida está associado à uma condição normal de veias e artérias na região do anus. Neste local existe um plexo venoso anorretal (conjunto de veias) que têm a finalidade de proteger o canal anal, manter a continência fecal e realizar a drenagem venosa, funcionando como almofadas. Somente quando esse plexo passa por um inchaço, dilatação, recebe o nome de doença hemorroidária.

A doença hemorroidal, erroneamente chamada de hemorroida, ainda sofre muitos preconceitos, principalmente quanto à sua forma de contrair. Muitos pensam que ao sentar-se em um lugar onde uma pessoa com este problema estava, principalmente se for logo em seguida, com a cadeira ainda quente, irá contrair.

Essa compreensão se deve ao fato de que muitos profissionais do trânsito, que passam longos períodos sentados em poltronas quentes, principalmente caminhoneiros, passam com este problema, gerando a cultura de que seria transmissível. No entanto, isso não é verdade, pois nesta ocasião existem outros fatores que podem acelerar o surgimento da dilatação venosa: fatores genéticos (outros casos na família), superaquecimento na região por longos períodos sentados.

Mas não são somente estes trabalhadores que sofrem com este problema, muito menos esses são os únicos fatores que favorecem ao surgimento da doença hemorroidária. Veja outros fatores de risco:

– Dieta inadequada sem fibras: gera dificuldade para evacuar.

– Constipação: baixa ingesta de líquido gera prisão de ventre.

– Diarreia crônica: fluxo constante de fezes altera a pressão nos vasos anorretais.

–  Sexo anal: gera pressão sobre os vasos anorretais.

– Histórico familiar de doença hemorroidária.

– Gravidez: a pressão sobre o reto gera constipação e elevação da pressão nos vasos anorretais

– Cirrose: a dificuldade de retorno venoso no sistema porta hepático eleva a pressão nas veias anorretais

– Tabagismo: gera problemas vasculares generalizados

– Hábito de reter a vontade de evacuar (fazer cocô) por tempo prolongado.

– Ficar sentado por longos períodos no vaso sanitário para evacuar: comprime as veias que possibilitam a circulação da região anorretal e gera elevação da pressão local e dilatação.

– Ingesta de alimentos apimentados

Observe que todos os hábitos ou fatores que levam ao surgimento da doença hemorroidária estão relacionados com a mudança de pressão sobre os vasos (veias e artérias) daquela região.

Então se você tem esses fatores, não necessariamente deve ter todos, e está apresentando dor ao evacuar, as vezes com pequenas quantidades de sangue, pode ser que esteja com este problema.

Nem sempre este problema pode ser visível, pois alguns vasos podem gerar dilatação interna ao anus, enquanto outras podem ser visualizadas, com a projeção das veias dilatadas para a parte externas, chamadas popularmente de hemorroidas de botão.

O tratamento, na maioria dos casos passa por recomendações e mudanças de hábitos sobre os fatores ditos anteriormente. Deve ser observado as crianças e idosos, já que, geralmente são dependentes dos cuidados de adultos, quanto às alterações.

O tratamento cirúrgico geralmente só se aplica quando as dores e a dilatação não regridem com os cuidados e medidas terapêuticas que detalhamos a seguir:

– Banho de assento com agua morna ajuda no alívio das dores

– Evitar o uso de papel higiênico: irrita a área dilatada da hemorroida. Optar pelas duchas.

– Usar lenços umedecidos nos casos que não se possa fazer a ducha

– Uso de laxantes em caso de pessoas que tenham constipação severa: fezes muito endurecidas.

– Uso de cremes, por recomendação médica, como o Xyloproct. Lubrica e analgesia a região.

– Beber muita água e ingerir alimentos ricos em fibras ajuda muito recuperação.

– Evitar ou diminuir drasticamente os fatores citados anteriormente como fatores de risco são fundamentais no tratamento.

Devido ser um problema que gera bastante constrangimento as pessoas só procuram o atendimento de saúde quando o quadro já está bastante avançado, dificultando a regressão do problema. Com isso, avalie seu hábitos e veja se não está pondo em risco sua saúde frente à possibilidade de desenvolver a Doença hemorroidal.

More