O cérebro: será um vilão dos conflitos entre casais?

O cérebro: será um vilão dos conflitos entre casais?

Muito se fala em relacionamentos falidos, casais que pareciam viver tão bem acabarem sua convivência, muitas vezes por coisas ditas banais. São muitas as explicações que levaram ao término: “já não nos entendíamos mais”, “meu marido só pensa em sexo, é um doente”, “minha esposa fala demais, quer uma explicação para tudo”.

De fato é muito complexo encontrar um fator único que gere o afastamento das pessoas, somos seres sociais (que vivem em conjunto) e por tanto estamos fadados aos conflitos, lutas de interesses, principalmente no capitalismo onde os valores individuas se sobressaem ao da coletividade.

É fato conhecido pela ciência haver diferenças anatômicas e funcionais, neste caso, no cérebro humano que podem nos dar várias explicações sobre alguns desentendimentos entre casais e que podem, à medida que as pessoas compreendam, melhorar ou até evitar grandes desavenças entre os sexos.

O cérebro humano, parte do sistema nervoso central responsável pelo processamento, armazenamento e resposta aos estímulos externos, apresenta diferenças em sua anatomia e, consequentemente sua funcionalidade.

O córtex cerebral é onde se armazena tudo que pensamos, que falamos, a fisionomia das pessoas, os nomes, nossos prazeres e tudo que nosso corpo desempenha. Essa estrutura de armazenamento apresenta áreas definidas (área responsável pela fala, pela resposta muscular, pelos desejos e etc.

É justamente nessa divisão funcional onde existe várias diferenças entre o homem e a mulher, veja algumas delas:

– As áreas responsáveis pela fala e audição são bem menores no homem do que na mulher. Elas usam os 2 hemisférios cerebrais enquanto os homens apenas o dominante. Muitas mulheres reclamam nunca serem ouvidas pelos homens, gerando grandes discussões.

– A área visual, orientação no espaço, é maior nos homens. Por isso muitas vezes as mulheres são mais cautelosas no trânsito, com maior dificuldade em orientação espacial elas acabam sendo mais lentas. Não estamos discutindo quem dirige melhor aqui. O fato da área visual ser mais apurada no homem explica as situações dele olhar quando uma mulher passa ao seu lado, ou quando eles preferem manter relação sexual no claro.

– Somado ao campo visual masculino está a área cerebral responsável pelo sexo, mais desenvolvida nos homens que nas mulheres.

– A área responsável pelo tato é mais apurada nas mulheres que nos homens. Essa sensibilidade não é muitas vezes entendida pelos homens e gera vários problemas de relacionamentos.

– O cérebro feminino requer maiores explicações das coisas, enquanto os homens são mais diretos, pragmáticos.

– O corpo caloso, estrutura de fibras nervosas que leva informações de um hemisfério cerebral à outro, chega a ser 30% mais nas mulheres. Fator que pode facilitar com que as mulheres realizem mais de uma função ao mesmo tempo, enquanto os homens dificilmente façam isso.

Que fique claro que essas explicações anatomofuncionais do cérebro não é para dizer qual sexo é melhor ou pior que o outro, ou que todos os relacionamentos acabaram por causa disto. Serve para esclarecer que se pegarmos essas diferenças e trabalharmos em conjunto, com os casais, podemos entender muitas desavenças, ser mais tolerantes e minimizar diversos conflitos com a aceitação e discussão desses impasses.