Viagra: do prazer ao funeral

Viagra: do prazer ao funeral

É inegável que todos os homens são fascinados quando o assunto é sexo, que sua “macheza” ele busca sempre associar ao seu desempenho sexual e que o fato de “broxar”(não ter uma boa ereção) é algo castigante para o homem da forma que ele sempre foi criado (um ser que não falha, sempre forte e viril).

O fato é que há quase 20 anos foi desenvolvido nos Estados Unidos um medicamento, o Citrato de Sildenafila (Viagra), que age de forma muito eficaz sobre esse problema. De acordo com o médico Romerito Soares esta droga prolonga a atuação do óxido nítrico (vasodilatador natural) produzindo aumento na circulação peniana e, consequentemente, a ereção.

 No entanto essa vasodilatação não acontece apenas no pênis, afeta todo o organismo, principalmente na circulação coronariana (artérias do coração). Com isso, e tendo em vista que as pessoas que procuram o serviço de saúde por uma disfunção erétil geralmente são pessoas de mais idade, sem atividade física regular e com problemas associados (hipertensão, cardiopatas) eleva o risco de infarto e morte no momento do ato sexual.

Nestas situações o infarto pode acontecer por 2 motivos:

  • A vasodilatação geral produz uma queda na pressão também de modo geral, o que leva a uma redução de sangue nas artérias coronárias e, consequentemente, à uma isquemia miocárdica (redução do aporte de oxigênio para a musculatura cardíaca), levando ao infarto (morte do músculo cardíaco).
  • A grande vontade em manter uma relação sexual somada à uma ereção prolongada, gerada pela ação do medicamento, e à problemas como: Sedentarismo, cardiopatias e idade avançada pode gerar uma sobrecarga cardíaca, isquemia e infarto. Isso tudo devido a um esforço físico prolongado ao qual o corpo e o coração não estavam habituados.

Sendo assim, o uso deste medicamento deve ser bem prescrito e bem orientado para que o usuário não tome atitudes precipitadas. Na hora de tomar a droga visando apenas prolongar o prazer e satisfazer seu próprio ego é preciso que a pessoa saiba que existem contraindicações sobre o uso desta droga.

O uso indiscriminado deste medicamento pode gerar graves problemas e até a morte. Procurar o serviço de saúde mais próximo para maiores esclarecimento é a melhor atitude para sua saúde. Evite a automedicação.

Sabendo destes detalhes vale à pena tomar esse medicamento? Ainda mais sabendo que a maioria das disfunções são apenas psicológicas. Devemos por nossa vida em risco por apenas mais uns minutos de prazer?